Ir ao conteúdo

O indicador gramatical N é chamado de terminação acusativa ou simplesmente acusativo. Pode colocar-se como terminação de diversos tipos de palavras:

  • substantivos:domodomon, hundohundon, virinovirinon, seĝojseĝojn, ekskursojekskursojn
  • adjetivos: ruĝaruĝan, grandagrandan, virinavirinan, verdajverdajn, knabajknabajn
  • pronomes pessoais:mimin, ĝiĝin, iliilin, onionin, sisin
  • palavras correlativas que terminam em U, O, e A :kiukiun, iuiun, ĉiujĉiujn, kiokion, ĉioĉion, iaian, nenianenian, tiajtiajn
  • Advérbios locativos e Tabela dos correlativos de lugar.

A terminação -N é colocada sempre após eventual terminação -J: domojn, hundojn, virinojn, ruĝajn, grandajn, virinajn, kiujn, kiajn.

Se um substantivo tem terminação -N, então todos os adjetivos e correlativos, em U e em A, que sejam adjuntos adnominais desse substantivo, devem ter a terminação -N:

  • grandan domon
  • domon ruĝan
  • tiun domon
  • tiajn domojn
  • tiun domon grandan
  • tian malgrandan domon antikvan
  • la malgrandajn domojn
  • domojn sen ĉiu ajn dubo tre antikvajn

O predicativo do objeto, contudo, não deve ter terminação -N: Mi refarbis la flavajn seĝojn blankaj.

A terminação -N pode indicar:

Objeto

O objeto é o que é diretamente alcançado pela ação.

Cada uma das seguintes frases mostra basicamente o mesmo significado:kato mordas hundon;kato hundon mordas;mordas kato hundon;mordas hundon kato;hundon kato mordas;hundon mordas kato (em cada caso, o gato é aquele que morde, enquanto o cão sofre a dentada). Devido à desinência N, cada uma das variantes com o mesmo significado é facilmente compreensível. A ordem das palavras depende apenas do estilo e gosto.

Mi amas vin;mi vin amas;vin mi amas;vin amas mi;amas mi vin;amas vin mi. Cada uma das seis variantes tem o mesmo significado: a ação amas é praticada por "mi", e o amor é direcionado para "vi".

Uma frase com objeto pode ser transformada em frase passiva. Então o objeto torna-se sujeito.

Esti e verbos similares não são ações que se direcionam a algo. Um sintagma que se relaciona com esti, não é objeto, mas predicativo, que nunca tem flexão N: Tio estastri seĝoj.(Isto são três cadeiras.)Mi estaskuracisto.(Eu sou médico.)Ŝi fariĝisdoktoro.(Ela tornou-se médica.)Mia patro nomiĝasKarlo.(O meu pai chama-se Karlo.)

O sujeito do verbo pode também ser colocado depois do predicado. Com alguns verbos esta ordem é usada com frequência. Não se deve usar a terminação -N nestes sujeitos:

  • Hieraŭ okazis grava afero. - Ontem aconteceu uma coisa importante.

    O sujeito da ação okazis é grava afero. Não diga: Hieraŭ okazis gravan aferon. Caso se ouça tal frase, deve-se perguntar: "kio okazis la grava afero". Mas "okazi" não é uma ação que ocorre de um agente para algo que é atingido por essa ação. O verbo "okazi" tem apenas um (principal) agente: aquilo que ocorre. Esse agente sempre aparece como sujeito, e assim não deve ter a flexão -N.

  • Restis nur unu persono. - Restou apenas uma pessoa.

    A pessoa é aquela que praticou a ação "restar". Não dizer:Restis nur unu personon.

  • Aperis nova eldono de la libro. - Apareceu uma nova edição do livro.

    Não diga: Aperis novan eldonon de la libro.

  • Mankas al ni mono. - Falta-nos dinheiro.

    Não diga: Mankas al ni monon.

Medida

Complementos circunstanciais e suplementos de medida levam com frequência a terminação -N.

Medida de tempo

Numa expressão de tempo, a flexão -N pode indicar medida de extensão de tempo, duração de tempo ou frequência. Estas expressões respondem às perguntas: kiel longe?(quanto tempo?), (dum) kiom da tempo? (durante quanto tempo?), kiel ofte? (quão frequente), e assim.

A medida de tempo, em parte de frase com flexão -N, é frequentemente complemento circunstancial do verbo:

  • Mi veturis du tagojn kaj unu nokton. = ...dum du tagoj kaj unu nokto. - Viajei dois dias e uma noite. = ...durante dois dias e uma noite.
  • Li estas morte malsana, li ne vivos pli, ol unu tagon. - Ele está morto de fome,não viverá mais do que um dia.
  • La festo daŭris ok tagojn. - A festa durou oito dias.
  • Ŝi aĝis tridek jarojn. - Tinha ela trinta anos.
  • La horloĝo malfruas kvin minutojn. - O relógio atrasa (cerca de) vinte minutos.

Sintagma de medida de tempo com flexão -N pode também ser suplemento de adjetivo ou advérbio:

  • Li estis dudek du jarojn aĝa. = ...je dudek du jaroj aĝa. - Ele tinha vinte e dois anos de idade. = ... a idade de vinte e dois anos.
  • La parolado estis du horojn longa. - A palestra durou duas horas.
  • Tiu ĉi vojo estas milojn da kilometroj longa. - Este caminho tem mil metros.
  • Unu momenton poste ŝi malaperis malantaŭ ili. - Um momento depois ela desapareceu por trás deles.

    Unu momenton mostra a quantidade de tempo que passou depois de algo.

  • Ŝi estas du jarojn kaj tri monatojn pli aĝa ol mi. - Ela é dois anos e três meses mais velha do que eu.

Um sintagma com a flexão -N e ideia de medida de tempo pode também colaborar com um complemento temporal com post ou com antaŭ para juntos mostrarem o tempo: Du tagojn post tio ŝi forveturis Norvegujon. Passaram-se dois dias após "isso".

Medidas diversas

Outras medidas funcionam de igual modo que as medidas de tempo. Pode ser medida de espaço comprimento, altura, largura, distância, profundidade, peso, custo, etc. Respondem às perguntas quanto?, quão?, quão muito?, quanto tempo?, quão alto/a?, quão profundo/a?, quanto pesa? e outras assim:

  • Ĝi kostas dek mil vonojn. - Custa dez mil won.

    (Won é moeda coreana.)

  • Vi devas kuri pli ol dek kilometrojn. - Tens que correr mais do que dez quilômetros.
  • La vojo larĝis dudek metrojn aŭ iom pli. - A estrada tinha vinte metros de largura ou um pouco mais.
  • La monto Everesto estas ok mil okcent kvardek ok metrojn alta. - O monte Evereste tem oito mil oitocentos e quarenta e oito metros de altura.
  • Ili staris nur kelkajn metrojn for de mi. - Eles estavam apenas a alguns metros longe de mim.
  • La domo estis ducent metrojn distanca. - A casa estava a duzentos metros de distância.

Medida sem indicador gramatical

Uma medida pode também aparecer numa parte da frase que não tenha indicador gramatical: Dek jaroj estas tre longa tempo. Dek jaroj aqui é sujeito. Pasis du tagoj. Du tagoj atua como sujeito.

Ponto de tempo

Parte de frase com terminação -N pode ser complemento circunstancial, que indica um ponto no tempo. Este complemento -N responde às perguntas: quando?, Em que data?, em que dia?, em que ano?, em que vez? e semelhantes. Pode-se dizer que esta terminação -N substitui, ordinariamente, uma preposição de tempo en:

  • Unu tagon estis forta pluvo. = En unu tago... - Num dia havia uma forte chuva.
  • Ĉiun monaton li flugas al Pekino. - Todo mês ele voa a Pequim.
  • Georgo Vaŝington estis naskita la dudek duan de Februaro de la jaro mil sepcent tridek dua. = ...en la dudek dua tago de Februaro... - George Washington nasceu aos vinte e dois de fevereiro do ano mil setecentos e trinta e dois. = ... no vigésimo segundo dia de fevereiro...

Junto aos nomes de dias da semana, um substantivo acusativo mostra um dia precisamente conhecido: dimanĉon = "num certo domingo conhecido", mesmo se não se usa la. A forma adverbial de tal nome do dia normalmente mostra que se trata geralmente sobre tais dias: dimanĉe = "aos domingos, em cada/todo domingo": Mi alvenos en Lyon lundon la 30-an de Aŭgusto.

Em expressões de horas deve-se usar je, principalmente se não é referida a palavra hora, para não haver confusão de hora com data:

  • Tio okazis la dekan. = Isso aconteceu no décimo dia do mês.
  • Tio okazis je la deka. = Isso aconteceu às dez horas do dia.

Ponto do tempo sem indicador gramatical

Um ponto no tempo pode também aparecer num sintagma que não tenha um indicador gramatical: Hodiaŭ estas sabato, kaj morgaŭ estos dimanĉo. Sabato e dimanĉo atuam como sujeito.

Direção

Adjetivos e suplementos com flexão -N podem indicar direção. Nesse caso, respondem a perguntas para que lugar?, em que direção?, e semelhantes.

A terminação -N usada sozinha

  • Morgaŭ mi veturos Kinŝason. = ...al Kinŝaso. - Amanhã eu viajarei a Kinshasa.
  • La vagonaro veturas de Tabrizo Teheranon. - O trem viaja de Tabriz a Teerã.

Usa-se uma única flexão acusativa -N apenas quando se trata de uma ida à parte interna de algo. Não se diz iri muron, iri kuraciston, mas sim iri al muro, al kuracisto. Efetivamente usa-se uma única flexão acusativa -N quase somente com os nomes de lugares (principalmente nomes de cidades).

N com en, sur e sub

A flexão -N direcional aparece mais frequentemente com en, sur e sub, as três mais importantes preposições de lugar. Quando en, sur e sub indicam simples posição, usa-se-as sem a terminação -N. Mas se se quer mostrar que algo se move para um lugar, deve-se completar a informação por meio de um indicador gramatical de direção. Teoricamente pode-se usar al (al en, al sur, al sub),mas na prática usa-se sempre a terminação -N:

  • sur la tablo - sobre a mesa = numa posição sobre a mesasur la tablon - para cima da mesa = para a posição sobre a mesa, para cima da mesa
  • sub la granda lito - sob a cama grande = num lugar sob a grande camasub la grandan liton - para debaixo da cama grande = a um lugar sob a grande cama, para debaixo da grande cama
  • La hundo kuras en nia domo. - O cão corre na nossa casa.

    O cão está dentro da casa e corre lá.

  • La hundo kuras en nian domon. - O cão corre para dentro da nossa casa.

    O cão estava fora da casa mas corre agora para o interior da casa.

  • Mi metis ĝin sur vian tablon. - Eu coloquei isso debaixo de sua mesa.

    Isso estava em outro lugar, e eu o movi para a superfície da mesa.

Com outras preposições de lugar para além de en, sur kaj sub normalmente não se usa a terminação de direção -N, mas deixa-se que o contexto mostre que se trata de direção. Pode-se porém usar o direcional N com outras proposições, se isso ajudar à clareza:

  • La hirundo flugis trans la riveron, ĉar trans la rivero sin trovis aliaj hirundoj. - A andorinha voou para o outro lado do rio, porque do outro lado do rio encontravam-se outras andorinhas.
  • La sago iris tra lian koron.La sago plene penetris lian koron. - A seta atravessou o coração dele. = A seta penetrou completamente o coração dele.

    Caso se use a flexão acusativa -N após tra, se está enfatizando que o movimento descrito por tra acontece plenamente e segue acontecendo a partir do lugar.

  • La vojo kondukis preter preĝejon. - O caminho conduzia para longe da igreja.

    Caso se use a flexão acusativa -N após preter, se acentua que o movimento descrito por preter segue ocorrendo longe da coisa.

  • Siajn brakojn ŝi metis ĉirkaŭ mian kolon. - Ela pôs seus braços ao redor do meu pescoço.

    Algumas vezes se usa ĉirkaŭ com a flexão acusativa -N também para mostrar um movimento a um lugar ao qual se chega por meio de um movimento de acercamento ao redor de outra coisa: Li kuris ĉirkaŭ la angulon de la domo.

  • Li kuris kontraŭ la muron kaj vundis sin. - Ele correu contra a parede e feriu-se.

    Para mostrar que um movimento contrário atinge seu objetivo, e se encosta nele, pode-se usar kontraŭ com a flexão acusativa -N.

  • Gardu vin, ke vi ne venu plu antaŭ mian vizaĝon. = ...al loko antaŭ mia vizaĝo. ...al antaŭ mia vizaĝo. - Cuide-se para que você não mais venha para diante de minha face. = ... a um lugar diante da minha face. = ... à frente da minha face.
  • Mi estis en la urbo kaj iris poste ekster ĝin. = ...al ekster ĝi. - Eu estava na cidade e fui depois para fora dela.= ... para fora dela.
  • Li iris inter la patron kaj la patrinon. - Ele foi ao meio entre o pai e a mãe.

    O objetivo da ida era um lugar entre o pai e a mãe.

  • Morgaŭ mi venos ĉe vin. - Amanhã virei a sua casa.

    Tradicionalmente prefere-se:Morgaŭ mi venos al vi.

Nalguns casos não se costuma usar a terminação de direção -N, porque o verdadeiro alvo é uma expressão subentendida. Essa expressão, se a usássemos, teria a terminação -N :

  • Jakob enfosis ilin sub la kverko. - Jakob os escondeu debaixo do carvalho.

    O verdadeiro objetivo é o solo: Jakob enfosis ilin en la grundon sub la kverko.

  • Oni metis antaŭ mi manĝilaron. = Oni metis sur la tablon antaŭ mi manĝilaron. - Colocaram diante de mim os talheres. = Colocaram sobre a mesa diante de mim os talheres.

Mas não seria errado dizer sub la kverkon (sob o carvalho) e antaŭ min (perante mim), porque estas expressões podem ser entendidas como alvos nestas frases.

Preposições de lugar são frequentemente usadas em sentido figurativo. Algo abstrato, sem localização, é expresso como se tivesse lugar. Neste caso, pode-se usar a terminação de direção -N para exprimir a direção figurada, por exemplo:

Algumas preposições mostram direção por si mesmas:al,ĝis,el e de. Essas preposições nunca mostram posição. Após elas não se usa final N:al la urbo,ĝis la fino,el la lernejo,de la komenco.

N depois de advérbios de lugar

Pode-se colocar a terminação -N depois de advérbios de lugar com terminação -E, e de correlativos de lugar, para indicar movimento em direção a um lugar:

  • hejme = na casa → hejmen = à casa
  • urbe = dentro da cidade → urben = para a cidade/à cidade
  • ekstere = fora de algo → eksteren = para o exterior de algo
  • tie = nesse lugar → tien = àquele lugar, naquela direção
  • kie = em qual lugar → kien = a que lugar, em que direção
  • ĉie = em cada/todo lugar → ĉien = a cada/todo lugar, em cada/toda direção
  • ie = em lgum lugar → ien = a algum lugar, nalguma direção
  • nenie = em nenhum lugar → nenien = a nenhum lugar, em nenhuma direção

N com outros significados

Adjetivos com terminação -N e suplementos com terminação -N indicam mais frequentemente medida, ponto no tempo ou direção, mas, às vezes, a parte da frase com a terminação -N tem outro papel, para o qual é usada normalmente uma preposição:

  • Mi ridas je lia naiveco. = Mi ridas pro lia naiveco. = Mi ridas lian naivecon. - Eu rio da ingenuidade dele.=Eu rio devido à ingenuidade dele.
  • Neniam ŝi miros pri/pro sia propra malaltiĝo.Neniam ŝi miros sian propran malaltiĝon. - Ela nunca admirará seu próprio rebaixamento.

Teoricamente, pode-se sempre substituir uma preposição por N, se isso não obscurecer o sentido. N é frequentemente usado em vez de je. A regra da clareza porém, impede quase sempre o uso de N em substituição de preposições de movimento de e el, porque o próprio N é indicador de movimento. Nalguns casos, contudo, frases como Ili eliris la buson (Eles deixaram o ônibus) podem ser encontradas. Neste caso, a flexão -N mostra um objeto: o ônibus é o objeto da ação "eliri". É por conseguinte preferível dizer, para maior clareza, Ili eliris el la buso.

Acusativo e nomes próprios

Com os nomes próprios esperantizados usa-se acusativo em total conformidade com as regras indicadas anteriormente

  • Mi vidis Karlon. - Vi o Carlos
  • Elizabeton mi renkontis hieraŭ en la urbo. - Encontrei Elisabete ontem na cidade.
  • Tokion ni tre ŝatas. - Gosto muito de Tóquio.

Os nomes próprios não esperantizados podem ocorrer sem desinência -O. Com estes nomes pode-se também omitir a flexão -N, mesmo quando a função da palavra na frase impõe essa flexão:

  • Ni renkontis Zminska. - Encontramos Zminska.

    Um nome polonês desempenha papel de objeto, mas sem -N.

  • Ŝi ludis la Prière d'une vierge. - Ela tocou a Prière d'une vierge.

    Nome francês de uma peça musical exerce papel de objeto, mas não tem flexão -N.

  • Li admiras Zamenhof. - Ele admira o Zamenhof.

    O nome Zamenhof exerce o papel de objeto,mas sem -N.

Se o nome puder aceitar a flexão -N (se termina por vogal), então pode-se acrescentar essa flexão. Também se pode acrescentar a flexão -N ao nome estrangeiro. Se se usa a desinência -O, também se deve usar o -N, se a função da palavra na frase o impõe. Pode-se também antepor um título ou uma expressão semelhante que pode receber a flexão -N:

  • Ĉu vi konas Anna? - Você conhece a Anna?

    O nome Anna desempenha o papel de objeto, mas sem a flexão -N.

  • Ĉu vi konas Annan? - Você conhece a Anna?

    O nome Anna desempenha o papel de objeto com a desinência -N.

  • Ĉu vi konas mian amikinon Anna? - Você conhece minha amiga Anna?

    Anna é aposto especificativo de minha amiga , e impreterivelmente não deve haver desinência -N aqui.

  • Li renkontis Vigdís Finnbogadóttir. - Ele encontrou Vigdis Finnbogadóttir.

    O nome islandês Vigdís Finnbogadóttir atua como objeto sem terminação alguma.

  • Li renkontis Vigdíson Finnbogadóttir. - Ele encontrou Vigdison Finnbogadóttir.

    O pré-nome tem as desinências -O e -N. Geralmente se esperantiza apenas o pré-nome da pessoa, ou se adiciona -O à forma não esperantizada do pré-nome, mas se deixa um eventual nome posterior na forma original sem uma desinência do Esperanto. A flexão -N é então usada apenas no pré-nome. Entretanto, isso não é regra, apenas costume. (Pode-se também escrever Vigdís-on com hífen.)

  • Li renkontis prezidanton Vigdís Finnbogadóttir. - Ele encontrou o presidente Vigdis Finnbogadóttir.
De volta à parte superior