Ir ao conteúdo

Pronome é uma palavra que pode substituir qualquer substantivo de uma frase.

Pronomes pessoais

mi
eu ≈ "o falante"
ni
nós ≈ "o falante e outra(s) pessoa(s)"
vi
≈ "para quem se fala"
li
ele ≈ "a pessoa do sexo masculino ou pessoa com sexo desconhecido, de quem se fala"
ŝi
ela ≈ "a pessoa do sexo feminino, de quem se fala"
ĝi
ele/ela ≈ "a coisa, animal ou criança, de quem se fala"
ili
eles ≈ "as pessoas, coisas e animais, de quem se fala"
oni
≈ "pessoa(s) indeterminada(s), alguém desconhecido"
si
≈ "a mesma pessoa do sujeito", se essa não for mi, ni ou vi

Pronomes pessoas podem receber o final N do acusativo:

  • Mi amas vin. - Eu amo você.
  • Ilin konas Karlo. - Karlo conhece-os.
  • Ĉu vi ĝin vidas? - Você o vê?
  • Elizabeto lavas sin en la lago. - Elizabete lava-se no lago.

Pronomes possessivos

Se acrescentamos a desinência A aos pronomes pessoais, cria-se pronomes possessivos:

mia
meu/minha
nia
nosso(a)
via
seu/sua (no mesmo sentido de teu/tua).
lia
dele
ŝia
dela
ĝia
dele/dela
ilia
deles/delas
onia
"(o/a/s) ... de alguém"
sia
seu/sua (no sentido de próprio)

Os pronomes possessivos podem receber as flexões J e N da mesma forma que outros adjetivos: mia ĉambromiaj ĉambrojmian ĉambronmiajn ĉambrojn.

Quando um pronome possessivo aparece antes de um substantivo, ele está definindo, e não se deve acrescentar la. O pronome possessivo indica de quem é a posse e isso é suficiente para exprimir definição. Caso se substitua o pronome possessivo por expressões do tipo de, normalmente deve-se adicionar la: ilia ĉambro = la ĉambro de ili, mia edzo = la edzo de mi.

Quando o pronome possessivo aparece sozinho sem substantivo depois, ele não está definindo, e não mostra um significado definido. Para mostrar definição então normalmente acrescenta-se la:

  • Tiu ĉi libro estas mia. - Este livro é meu.

  • Tiu ĉi libro estas la mia. - Este livro é o meu.

  • Mia aŭto estas difektita. Ni provu la vian. La vian = vian aŭton. - Meu automóvel está com defeito. Nós testaremos o seu. O seu = seu carro.

Mas às vezes pode-se abandonar este la antes de um pronome possessivo independente, caso o contexto for muito claro:

  • Li pli ŝatas mian domon ol (la) sian. = ...ol sian domon. - Ele gosta mais da minha casa do que da sua. = ... do que da sua casa.

Demais pronomes

Também outras palavrinhas são pronomes(mas não pessoais), por exemplo, os correlativos terminados em -O,-U e -ES e o vocábulo ambaŭ.

Primeira pessoa

Mi

Eu é singular (e não mostra sexo de forma alguma). Eu e meu são usadas pelo falante para falar de si mesmo. Em gramática, isso é frequentemente chamado "a primeira pessoa":

  • Mi venas de la avo, kaj mi iras nun al la onklo. - Venho da casa do(= de meu) avô e vou agora para a casa do tio.
  • Mi foriras, sed atendu min, ĉar mi baldaŭ revenos. - Vou embora, mas espere-me que voltarei breve.
  • Por miaj kvar infanoj mi aĉetis dek du pomojn. - A cada um de meus filhos dei doze maçãs.
  • Kiam mi finos mian laboron, mi serĉos mian horloĝon. - Quando eu terminar meu trabalho, procurarei meu relógio.
  • Mi prenos miajn glitilojn kaj iros gliti. - Eu pegarei meus esquis e irei esquiar.

Ni

Ni é plural (e não mostra o sexo). Ni e nia são usados por quem fala para falar de si mesmo e de outra(s) pessoa(s). Nós pode significar eu e uma outra pessoa., eu e várias outras pessoas,, eu e todas as outras pessoas, ou eu e você. O pronome ni ora inclui a(s) pessoa(s) a quem se fala ora não. Quais pessoas estão incluídas, apenas o contexto poderá mostrar:

  • Ni vidas per la okuloj kaj aŭdas per la oreloj. - Vemos com os olhos e ouvimos com as ouvidos.

  • Ni disiĝis kaj iris en diversajn flankojn: mi iris dekstren, kaj li iris maldekstren. - Nos dispersamos e fomos para diversos lados: eu fui para a direita e ele foi para a esquerda.

    Nós = "eu e ele".

  • Kiam vi ekparolis, ni atendis aŭdi ion novan, sed baldaŭ ni vidis, ke ni trompiĝis. - Quando você começou a falar, nós esperávamos ouvir algo de novo, mas logo vimos que nos enganamos.

    Nós = "eu e outras pessoas, mas não aquele com quem falamos".

  • La nokto estis tiel malluma, ke ni nenion povis vidi eĉ antaŭ nia nazo. - A noite foi tão escura que nos nada pudemos ver ante nossos narizes.
  • La junulo aliĝis al nia militistaro kaj kuraĝe batalis kune kun ni kontraŭ niaj malamikoj. - O jovem alistou-se no nosso exército e corajosamente combateu juntamente conosco contra os nossos inimigos.
  • Kiam vi vidis nin en la salono, li jam antaŭe diris al mi la veron. - Quando você viu no salão, ele já me tinha dito a verdade.

    Nós = "eu e ele".

Segunda pessoa

Vi

Vi e via são usados pelo(a) orador(a) para falar sobre a(s) pessoa(s), à(s) qual(quais) ele(a) fala. Vi e via podem incluir também outras pessoas que de alguma forma pertencem ao mesmo grupo que o do orador(a)(s). Em gramática isso se chama "segunda pessoa". Usa-se vi tanto para uma ou várias pessoas. Vi portanto ora é singular ora é plural. Vi não indica gênero e também é neutro com relação a grau ou posição,etc:

  • Sinjoro, vi estas neĝentila. - Senhor, você é rude.
  • Sinjoroj, vi estas neĝentilaj. - Senhores, vós sois rudes.
  • Vi estas infanoj. - Vocês são crianças.
  • Ĉu vi amas vian patron? - Você ama seu pai?
  • Via parolo estas tute nekomprenebla kaj viaj leteroj estas ĉiam skribitaj tute nelegeble. - Seu/teu discurso é completamente incompreensível e suas caratas são sempre escritas totalmente ilegíveis.
  • Sidigu vin, sinjoro! - Sente-se, Senhor/Queira sentar-se, Senhor!

Kiamvi é sujeito de U-verbo na oração principal, normalmente ele é deixado.

Em alguns idiomas às vezes se usa o pronome vi para as pessoas em geral. Para isso, usa-se em Esperanto o pronome oni.

Ci

Ci (tu) é um pronome singular - para quem se fala - que não mostra o sexo. Ci e cia existem apenas teoricamente, e são quase nunca usados na prática. Seria possível imaginar ci como o singular de vi, ou como um vi singular íntimo e familiar ou mesmo como um vi singular de insulto. Mas de fato, não é possível dizer com precisão que espécie de nuance ele mostra, pois ele quase não é usado. Alguns imaginam que se usou anteriormente ci em Esperanto e que esse uso posteriormente desapareceu, mas de fato ci nunca foi usado na prática. Ele apenas apareceu em algumas ocasiões em experimentos linguísticos. No Esperanto normal sempre se usou amplamente apenas vi como pronome - para quem se fala.

Terceira pessoa

Tudo o que não for mi, ni ou vi (ou ci ), é chamado de "terceira pessoa". Os pronomes li , ŝi, ĝi e ili e lia, ŝia, ĝia, ilia , são usados ​​para falar sobre algo conhecido, que não é nem aquele que fala nem aquele de que se fala. Oni e onia são usados ​​para falar sobre pessoa(s) indefinida(s). Si e sia substitui os outros pronomes de terceira pessoa em certos casos.

Li e ŝi

Li e ŝi são singulares. Li e lia são usados quando se fala sobre uma pessoa do sexo masculino. Ŝi e ŝia são usados para uma pessoa do sexo feminino:

  • Li estas knabo, kaj ŝi estas knabino. - Ele é um garoto, e ela é uma garota.
  • Li estas mia onklo. - Ele é meu tio.
  • Ŝi estas mia onklino. - Ela é minha tia.
  • En la salono estis neniu krom li kaj lia fianĉino. - Não há ninguém no salão além dele e a esposa.
  • Mi renkontis vian patrinon kaj ŝian kolegon. - Encontrei sua/tua mãe e o colega dela.

Quando se fala sobre uma pessoa cujo sexo não é conhecido ou quando se fala genericamente sobre pessoas de qualquer sexo, normalmente usa-se ele. Ele tem portanto dois significados: a pessoa masculina ou a pessoa:

  • Ĉiu, kiu ŝin vidis, povis pensi, ke li vidas la patrinon. - Cada um que a viu podia pensar que ele vê a mãe.

    Ele responde aqui a todos, portanto a cada pessoa.

  • Se vi iros al kuracisto, li povos helpi vin. - Se você for a um médico, ele poderá ajudá-lo.

    Refere-se a qualquer médico,independente de sexo.

Este uso de li é às vezes visto como discriminação sexual, mas de fato é apenas uma questão gramatical. Usa-se li não por ignorar-se as mulheres, mas porque li tem dois significados: masculino e sexualmente neutro. De fato, isso às vezes pode causar situações obscuras. Então, não se deve hesitar em expressar-se mais claramente através de, por exemplo, ŝi ou li, tiu, tiu persono, entre outros.

Nota: Alguns, no entanto, não hesitaram em propor novos pronomes para substituir o uso neutro de li. Mais ou menos todas as consoantes livres somadas a "i" já foram propostas sem muito resultado prático. Entretanto, atualmente pode-se às vezes encontrar ŝli e ri, enquanto que outros insistem em gi ou ĵi ou ainda algo diferente.

Ĝi

Ĝi é singular. Ĝi e ĝia são usados para falar sobre coisas sem sexo:

  • La tranĉilo tranĉas bone, ĉar ĝi estas akra. - A faca corta bem, porque é afiada.
  • Trovinte pomon, mi ĝin manĝis. - Encontrando(tendo encontrado) uma maçã, eu a comi.
  • Mi disŝiris la leteron kaj disĵetis ĝiajn pecetojn en ĉiujn angulojn de la ĉambro. - Despedacei a carta e joguei seus pedaços em todos os lugares da sala.

Usa-se ĝi também sobre crianças, que são tão jovens, que o sexo não importa. Mas pode-se também usar li, como se faz para pessoas, cujo sexo não se conhece:

  • La infano ploras, ĉar ĝi volas manĝi. - A criança chora porque (ela) quer comer.
  • Mi montris al la infano, kie kuŝas ĝia pupo. - Mostrei à criança onde está a boneca dela(sua boneca).

Mas se se deseja particularmente mostrar o sexo da criança, ou se trata de crianças de mais idade, então use li ou ŝi.

Ĝi é também usado para falar sobre um animal, até quando seu sexo é conhecido.

  • "Pip, pip!" diris subite malgranda muso, kiu elkuris, kaj post ĝi venis ankoraŭ unu. - "Pip, pip!" disse subitamente um pequeno rato, que correu, e depois dele veio ainda outro.
  • Mi frapos vian ĉevalon sur la kapon tiel, ke ĝi falos senviva. - Baterei na cabeça de seu cavalo até que ele caia morto.

Em ocasiões especiais, quando poderia haver um mal-entendido, pode-se também usar li ou ŝi para animais.

Ĝi também pode representar grupos de palavras no singular, como: familio, popolo, armeo

  • Hodiaŭ la problemo interesas la publikon, morgaŭ ĝi povas esti indiferenta pri ĝi. - Hoje o problema interessa ao público, amanhã ele pode ser indiferente para ele.

    O primeiro ĝi representa o público (várias pessoas). (O segundo ĝi é o problema.)

Ĝi normalmente representa coisas, animais e outras coisas que não estão claramente definidas. Tio é usado para relações abstratas, para representar toda uma frase, ou para coisas não-definidas (=tiu afero):

  • — Ŝi forvojaĝis. — Jes, mi tion scias. = Jes, mi scias, ke ŝi forvojaĝis. - — Ela saiu em viagem. — Sim, eu sei disso. = Sim, eu sei que ela saiu em viagem.

Ili

Ili é plural. Ili e ilia são usados para falar sobre muitas coisas conhecidas ou pessoas (que incluem não o falante nem a quem se fala). Ili não mostra o sexo:

  • Kie estas la knaboj? Ili estas en la ĝardeno. - Onde estão os meninos? Eles estão no jardim.
  • Kie estas la knabinoj? Ili ankaŭ estas en la ĝardeno. - Onde estão as meninas? Elas estão no jardim.
  • Kie estas la tranĉiloj? Ili kuŝas sur la tablo. - Onde estão as facas? Elas estão na mesa.
  • Donu al la birdoj akvon, ĉar ili volas trinki. - Dê água aos pássaros,porque eles querem beber.
  • Sinjoro Petro kaj lia edzino tre amas miajn infanojn; mi ankaŭ tre amas iliajn infanojn. - Seu Pedro e a esposa dele amam muito meus filhos; eu também amo muito os filhos deles.

Em algumas línguas usa-se às vezes ili como pronome para pessoas não definidas. Em Esperanto deve-se utilizar nesse caso oni.

Oni

Oni e onia são pronomes indefinidos que são usados quando se fala sobre uma pessoa qualquer, sobre muitas ou algumas pessoas indefinidas, quando não importa de que pessoas se trata, etc. Oni é normalmente singular, mas também pode ser plural. Oni nunca mostra o gênero:

  • En malbona vetero oni povas facile malvarmumi. - Em um clima ruim pode-se facilmente resfriar-se.
  • Kiam oni estas riĉa (aŭ riĉaj), oni havas multajn amikojn. - Quando se é rico, tem-se muitos amigos.
  • Oni diras, ke la vero ĉiam venkas. - Diz-se que a verdade sempre vence.
  • Kun bruo oni malfermis la pordegon, kaj la kaleŝo enveturis en la korton. - Com barulho fecharam o portão, e a charrete entrou no pátio.
  • Oni tiel malhelpis al mi, ke mi malbonigis mian tutan laboron. - Me atrapalharam de tal modo que eu piorei todo o meu trabalho.
  • La malpura aero malsanigas onin. - O ar poluído adoece a gente.
  • Kiam oni venas al tiu urbo, oni devas atenti pri la krimuloj. Ili kapablas ŝteli eĉ oniajn vestaĵojn. - Quando se vem para essa cidade, deve-se estar atento com os criminosos. Eles são capazes de roubar até mesmo as vestes de alguém.
  • Ne kritiku onin, ĉar oni povas ankaŭ vin kritiki. - Não critique a gente, porque a gente pode também criticar você.

Na prática, muito raramente ocorrem casos em que se pode usar onin e onia. Devido a essa raridade, alguns estranham essas formas e evitam usá-las, mesmo quando elas podem ser úteis.

Si

Si e sia são pronomes especiais de terceira pessoa, que podem, em certos casos, ser utilizados em vez dos pronomes comuns da terceira pessoa. Si ora é singular, ora plural, dependendo do que ele representa. Si por si só não indica gênero.

Acontece frequentemente que aquilo que desempenha o papel de sujeito também aparece com outra função na mesma frase. Se o sujeito é eu, nós ou você (outu), simplesmente se repete o mesmo pronome:

  • Mi lavas min. - Eu me lavo.

    Os dois eu são a mesma pessoa.

  • Mi vidas mian fraton. - Eu vejo meu irmão.

    Mi e mia refere-se a mesma pessoa.

  • Ni lavas nin. - Nós nos lavamos.

    Os dois nós são as mesmas pessoas.

  • Ni vidas niajn fratojn. - Nós vemos nossos irmãos.

    Nós e nosso(a) mostram as mesmas pessoas.

  • Vi lavas vin. - Você se lava./Tu te lavas.

    As duas vós são a(s) mesma(s) pessoa(s).

  • Vi vidas viajn fratojn. - Você vê seus irmãos.

    Tu/Você / Vós e tua / sua / vossa mostram a(s) mesma(s) pessoa(s).

Mas se o assunto é a terceira pessoa (nem o que fala nem o de que se fala), deve-se usar si para a outra função. Se se usa, por exemplo li tanto no sujeito quanto na outra função, então trata-se necessariamente de dois homens diferentes. O mesmo aplica-se a ŝi, ĝi e ili:

  • Ŝi lavas ŝin. - Ela se lava.

    Uma mulher lava outra mulher.

  • Ŝi lavas sin. - Ela se lava

    Uma mulher lava o próprio corpo. Ela e se mostram a mesma pessoa.

  • Ŝi vidas ŝian patrinon. - Ela vê a mãe dela.

    Uma mulher vê a mãe de outra mulher.

  • Ŝi vidas sian patrinon. - Ela vê a sua mãe.

    Uma mulher vê a própria mãe.

  • La virino serĉas ŝian filon. - A mulher procura o seu filho.

    A mulher procura o filho de outra mulher.

  • La virino serĉas sian filon. - A mulher procura o seu filho.

    A mulher procura o seu próprio filho.

  • Li lavas lin. - Ele se lava.

    Um homem lava outro homem.

  • Li lavas sin. - Ele se lava.

    Um homem lava seu próprio corpo. Li e sin indicam a mesma pessoa

  • Ĝi lavas ĝin. - Ele/a lava ele/a.

    Um animal lava outro animal (ou coisa).

  • Ĝi lavas sin. - Ele/Ela se lava.

    Um animal lava seu próprio corpo. Ĝi e sin referem-se ao mesmo animal.

  • La hundo ludas per sia pilko. - O cão brinca com sua bola.

    O cão brinca com a própria bola.

  • Ili lavas ilin. - Eles os lavam.

    Um grupo de pessoas ou animais lava outro grupo.

  • Ili lavas sin. - Eles/Elas se lavam.(a si mesmos).

    Um grupo lava os próprios corpos. Ili e sin mostram o mesmo grupo.

  • La naĝintoj ne trovas siajn vestaĵojn. - Os nadadores não encontram suas roupas.

    Os nadadores não encontram as próprias roupas.

  • Oni ne forgesas facile sian unuan amon. - Não se esquece facilmente seu primeiro amor.

Si não pode ser sujeito

Si nunca pode ser sujeito, nem parte do sujeito, pois então si representaria a si mesmo. Igualmente sia não pode ser parte do sujeito. Não é possível ter frases como: Si manĝas. Mi kaj si dancas. Petro kaj si fiŝkaptas. Mia kaj sia fratoj estas samklasanoj. Sia edzino estis kisata de li. Então, não diga: Karlo kaj sia frato promenas en la parko. Caso se dissesse esta frase, aparentemente haveria a intenção que sia representasse a Karlo, mas o sujeito de fato não é Karlo, e sim Karlo kaj sia frato. Diga: Karlo kaj lia frato promenas en la parko. Entretanto, pode-se usar si caso se mude a frase desta forma: Karlo kun sia frato promenas en la parko. Agora o sujeito é Karlo e sia representa exatamente a Karlo. A locução kun sia frato não é parte do sujeito, mas sim adjeto com kun.

Si numa frase passiva.

Si e sia representam o sujeito gramatical. Isso é válido também em frases passivas, ainda que o sujeito gramatical não seja agente em tais frases:

  • Ŝi estas amata de siaj instruistinoj. - Ela é amada por suas professoras.
  • Karlo estis akompanata de Petro al sia domo. = ...al la domo de Karlo. - Carlo foi acompanhado de Pedro a sua casa. = à casa de Carlo
  • Karlo estis akompanata de Petro al lia domo. = ...al la domo de Petro. - Carlo foi acompanhado de Pedro à casa dele. = à casa de Pedro.
  • Li sendas leteron al sia kuzo.Letero estas sendata de li al lia (propra) kuzo. - Ele envia uma carta a seu primo.→ Uma carta é enviada por ele a seu(próprio)primo.

    Na frase passiva não se pode dizer al sia kuzo, porque então se referiria ao primo da carta.

Frase subordinada

O predicado de uma frase subordinada tem um sujeito próprio. Caso se use si(a) em tal frase, ele deve representar sempre o sujeito da frase subordinada, nunca o sujeito da frase principal:

  • Elizabeto rigardis la viron, kiu kombis al si la harojn. - Elizbete olhava o homem que lhe penteava os cabelos.

    O homem penteou o próprio cabelo (não o de Elizabeto). Si representa o sujeito de kombis, que é kiu (e kiu representa o homem).

  • Karlo kaj Petro diris, ke la infanoj jam vestis sin. - Karlo e Petro disseram que as crianças já se vestiam.

    As crianças vestiram os próprios corpos (não os corpos de Carlos e Pedro).

  • Li vidis, ke la hundo ludas per sia pilko. - Ele viu que o cão brincava com a sua bola.

    A bola pertence ao cão (o assunto da oração acessória).

  • Abimeleĥ, la reĝo de la Filiŝtoj, rigardis tra la fenestro, kaj vidis, ke Isaak amuziĝas kun sia edzino Rebeka. - Abimeleque, rei dos filisteus, olhou pela janela e viu que Isaac se divertia com sua esposa Rebecca.

    Rebecca é a esposa de Isaac (o sujeito de divertia), e não de Abimeleque (o sujeito de vidis). Se fosse ela a esposa de Abimeleque, dir-se-ia lia edzino.

  • Mia avo diris, ke li tre amis sian patrinon. - O meu avô disse que ele amava muito a sua mãe.

    Sian representa o sujeito de amis, li, o qual pode ser idêntico ao mia avo, mas que também pode ser um outro homem.

Si não pode ser ele mesmo o sujeito. Também não é possível utilizar de si como sujeito de oração acessória nem como parte do sujeito de oração acessória, a fim de que si represente o sujeito da oração principal. Não se pode: Karlo diris, ke si venos morgaŭ.Nem: Karlo diris, ke sia frato venos morgaŭ.Siem oração acessória representa sempre o sujeito da própria oração acessória. Deve-se dizer: Karlo diris, ke li venos... / ke lia frato venos... Também não se deve: Ŝi sentis, ke pluvas sur sin. Deve-se dizer: Ŝi sentis, ke pluvas sur ŝin.

Particípio com terminação -A é como que uma frase subordinada:

  • Li ekvidis la anĝelon de la Eternulo, starantan sur la vojo kun elingigita glavo en sia mano. - Ele avistou o anjo do Senhor, que estava de pé no caminho com uma espada desembainhada em sua mão.

    O anjo estava de pé com uma espada em sua mão.

  • Karlo promenis kun virino vestita per sia plej bela vesto. - Carlos passeou com uma mulher que estava vestida com seu mais belo vestido.

    Ela está vestida com a sua mais bela veste.

Também expressões comparativos introduzidas por kiel ou ol funcionam como partículas. Si nesta expressão comparativa representa o objecto do verbo implícito:

  • Ŝi amas lin kiel sin mem. - Ela o ama como a si mesmo.

    Ela o ama como ela ama a si mesmo.

  • Ŝi estas tiel saĝa kiel ŝia fratino. - Ela é tão bela quanto a sua irmã.

    Também a irmã dela é sábia.

  • Li punis ilin same kiel siajn fratojn. - Ele puniu a eles assim como a seus próprios irmãos.

    Ele puniu também seus próprios irmãos.

  • Ŝi amas lin pli ol sin mem. - Ela o ama mais do que a si mesmo.

    Ela o ama mais do que ela ama a si mesmo.

  • Li estas pli aĝa ol lia frato. - Ele é mais velho do que o seu irmão.

    O seu irmão é velho (mas pouco).

Um epíteto posterior complexo ou suplemento de substantivo pode ser visto como frase subordinada com verbo subentendido. Então si pode representar o sujeito do verbo subentendido. Esse sujeito é sempre idêntico ao substantivo anterior. Sobre tais frases, no entanto, o uso não é unificado:

  • Ili vizitis muzeon faman pro siaj belaj pentraĵoj. = ...muzeon, kiu estas fama pro siaj belaj pentraĵoj. - Eles visitaram um museu famoso pelos seus belos quadros. = ... um museu que é famoso pelos seus belos quadros.

    O quadro pertence ao museu.

  • Picasso vizitis muzeon faman pro liaj pentraĵoj. = ...muzeon, kiu estas fama pro liaj pentraĵoj. - Picasso visitou um museu famoso por causa dos quadros dele. = um museu que é famoso por causa das pinturas dele.

    Os quadros são de Picasso.

  • Ŝi vidis soldaton kun sia pafilo en la mano. = ...soldaton, kiu staris kun sia pafilo en la mano. - Ela viu um soldado com sua arma em mãos. = ...um soldado que estava de pé com sua arma em mãos.

Infinitivo

Caso se use si junto com um verbo no infinitivo, si representa o sujeito lógico do infinitivo. Muito frequentemente esse sujeito lógico é o mesmo que o sujeito do predicado, mas nem sempre:

  • Ĉiu homo devas zorgi pri si mem. - Cada pessoa deve cuidar de si.

    Si representa o sujeito de cuidar.Ele é idêntico ao sujeito de deve.

  • La sinjoro ordonis al la servisto vesti sin. - O patrão ordenou ao empregado vestir-se.

    O sujeito de vestir é o empregado. Sin representa o empregado.

  • La sinjoro ordonis al la servisto vesti lin. - O patrão ordenou ao servo vesti-lo.

    O empregado não deve vestir a si mesmo, mas outro homem, possivelmente o patrão.

Se o sujeito lógico do infinitivo não estiver presente na frase, e se ele não tiver importância alguma, normalmente deixa-se que o si represente o sujeito do predicado:

  • La reĝo sendis voki sian kuraciston. - O rei mandou chamar seu médico.

    O sujeito contextual de voki não está presente na frase, e não é importante. Sia portanto pode representar o rei. Trata-se o conjunto sendis voki como a um verbo com apenas um sujeito, o rei.

  • La reĝo sendis la serviston voki lian kuraciston. - O rei mandou o servo chamar seu médico(do servo).

    Aqui o sujeito de voki (o servo) está presente. Caso se dissesse sian kuraciston, o servo deveria chamar o seu próprio médico, não o médico do rei.

Substantivo ativo

Se um substantivo está claramente definindo uma ação, e se seu sujeito significativo está presente, si normalmente deve representar esse sujeito. As regras porém não são fixas:

  • Petro pacience aŭskultis la plendadon de Karlo pri ĉiuj siaj problemoj. - Pedro ouvia pacientemente as reclamações de Carlos sobre todos os seus problemas.

    Karlo reclamou de todos os seus problemas. Os problemas são de Karlo (o sujeito de plendado), não de Petro (o sujeito de aŭskultis).

Quando sia aparece antes de um substantivo de ação, ele sempre representa o sujeito do predicado:

  • Karlo rakontis al Eva pri sia vojaĝo al Azio. - Carlos contou a Eva sobre sua viagem à Ásia.

    Carlos viajou à Ásia.

  • Karlo demandis al Eva pri ŝia vojaĝo al Eŭropo. - Carlos perguntou a Eva sobre a viagem dela À Europa.

    Eva viajou à Europa.

Si(a) em expressões fixas

Em algumas expressões fixas, si(a) não obedece às regras ordinárias:

  • siatempe = "nesse tempo, no tempo referido, no tempo conveniente". Quando siatempe tem este significado especial, diz-se sempre siatempe independentemente do sujeito: Mi volis siatempe proponi regulon. (Eu quis no tempo conveniente propor uma regra) Tiam mi donos al via lando pluvon siatempe. (Nessa época eu darei à terra de vocês uma chuva no seu próprio tempo)
  • Substantivo + en si = "...tal qual ele/ela é". Quando se trata deste significado especial, usa-se si mesmo se a coisa referida não for um sujeito: Se oni rigardas la aferon en si, oni vidas... = Caso se olhe para a coisa em si, vê-se que...
De volta à parte superior